sábado, julho 26


O post dessa madrugada pode soar brega, clichê, utópico (adoro essa palavra, e o significado

dela também!), inocente, infantil, impossível e etc. Que seja, o motivo pelo qual me

inspirou a vir escrever às 03:50 da manhã conseguiria definir tudo isso com somente uma

palavra: Hollywood.

Já não é a primeira vez em que me inspiro em alguns desses romancezinhos das super produções

americanas, eu sei. Mas quem nunca se sentiu um lixo após assistir um desses?
Por mais que a gente saiba que são situações totalmente pensadas (ou seriam fantasiadas?)

por roteiristas selecionados à dedo (imagino eu... ) é muito fácil criar esperanças que um

dia algo parecido aconteça com você!

Eu por exemplo crio muitas esperanças para tudo, embora não faça questão de demonstrar.

Sempre procuro ver o lado bom das coisas, inclusive dos meus relacionamentos fracassados.

O filme de hoje me deixou assim. Um lixo. Isso geralmente acontece quando de alguma forma me

identifico com algum personagem. Em "Minha mãe quer que eu case", me vi na Mandy Moore. E

droga, não é tão legal se identificar com ela nesse filme... Primeiro porque ela tem a minha

idade, um carro, uma casa e uma empresa. Eu não tenho nada disso, antes fosse isso a razão

do meu lamento. Me identifiquei com ela por causa da essência do personagem, a maneira de

como ela lida com essas coisas que acontecem quando se é solteira e está a procura de alguma

coisa que você nem sabe ao certo o que é. Sei que o papel dela não é tão profundo, mas acho

que numa situação dessas reagiria da mesmo forma, e não sei se isso é realmente bom.

E além disso, eu me ofendi com uma cena do filme.
Quando a mãe dela está chorando no telefone, tentando se desculpar com a Mylla, personagem

da Mandy Moore, ela olha uma foto em um porta-retrato onde se supõe que seja uma fotografia

da mãe e da filha com aproximadamente uns três anos.
Detalhe que: a foto era em preto e branco!

Oh deus, que falha lamentável!
A menina tinha vinte anos, minha idade praticamente! em 1988 todo mundo já tirava fotos

coloridas, só ela que não! Eu realmente fiquei ofendida com isso.
Mas tudo bem é só Hollywood.

E por hoje é só, amanhã será um longo dia.



Por Bruna | |



quem.


Bruna, 19 anos, aspirante à jornalista aspirante à alguma coisa. Charles Bukowski, Baudalaire, Woody Allen.Bob Dylan. Alice Cooper, Backyard Babies, Oasis, Rolling Stones. E muito mais.

onde

O blog já existe a anos, mudou de nome, lugar e propósito várias vezes. Para que serve? diria que ocupa a função do psicólogo, terapeuta ou qualquer um desses que tenta entender a mente alheia, porém o blog não proporciona nenhum diagnóstico preciso (aliás, algum deles proporcionam?). Aqui você, caro leitor, encontrará desabafos de uma mente sana, causos de uma pessoa azarada e muitas estórias a serem contadas. Com qual propósito? bom... aparentemente nenhum!


twitter



recomendo.

amigos

Rapha | Jeh | Ju | Tháta | Fabrício | Déia | Magno | Leandro | Ikki | Row | Gui
leio sempre
blog do rafa | te dou um dado | blog do cachorro grande | bruno medina | zeca camargo | blog do tas

não volta.
Julho 2008 Agosto 2008 Setembro 2008 Outubro 2008 Novembro 2008 Dezembro 2008

status.


eXTReMe Tracker